Pesquisar este blog

domingo, 12 de dezembro de 2010

Será que eu vou virar bolor?

Eu lembro do dia em que comprei e ouvi este albúm do Arnaldo Batista.
Eu já era fã dos Mutantes, tinha uma série de fitas K-7, com seleções de músicas de vários longplays. Os meus preferidos, na época, eram "A Divina Comédia ... ou Ando Meio Desligado" e "Jardim Elétrico".
Quando a agulha passou pelos sulcos do vinil, revelando instrumentos crus e letras de uma tristeza, de um desespero interior que eu intuía, mas ainda não tinha parâmetros para aquilatar.
Hoje, décadas e décadas depois, posso dizer que esse disco mudou radicalmente a minha percepção das pessoas, de como sentir, de como encarar a vida e os outros.

Pátio Havana

O restaurante tem cara de chique, jeito de chique e é chique!!!
Cinco ambientes, fora as mesinhas da calçada; uma carta de vinhos muito legal e um atendimento maravilhoso, tudo isso de frente para o mar de Búzios!
Chegamos cedo, sentamos no ambiente com ar condicionado, numa mesa de frente para o mar e ficamos observando as manobras do transatlântico Zenith deixando uma esteira de luz no mar de Búzios ao se deslocar rumo a outras paragens...
Fomos atendidos pelo Roberto e, imediatamente, pedimos o couvert da casa. Impressionante: os pães e as pastas tinham a mesma qualidade da Estância Don Juan, o que nos levou a crer (depois confirmamos) que o proprietário era o mesmo!!!!

Já tinha dado umas garfadas, quando lembrei que tinha que fotografar o prato....
Açucar Mascavo e Calda de Canela reforçando o sabor das Maçãs
Provamos um tinto australiano muito interessante (Heartland), para conhecer, enquanto aguardávamos o jantar (mais argentino impossível): miolo de alcatra acompanhado de batatas cozidas, com molho de ervas.
Finalizamos dividindo uma fatia de strudel, acompanhada de sorvete.
As fotos foram feitas com celular sem flash, em ambiente apenas com luz difusa.

Encantando o cliente - Sorveteria Finlandês (rua paralela à rua das Pedras)

Voltamos para a rua das Pedras para tomar sorvete. A Marcia procurava uma sorveteria para saborear uma sonhada e desejada "banana split". Sim, uma simples e tradicional banana split, que não encontramos em nenhum lugar.
Procura daqui, roda dali e chegamos à filial da tradicionalíssima sorveteria filandesa, que tem sede em Penedo (aquela ao lado da casa do Papai Noel) e que, em Búzios, fica na paralela à rua das Pedras.
Provamos vários sabores de sorvetes (um mais delicioso que o outro), mas a Marcia insistia em comer a "sonhada" banana split.
Aí começa a parte interessante da história, do encantamento do cliente: a banana split não consta no cardápio daquela sorveteria. Mas, a proprietária e a atendente, solícitas - mesmo com a loja cheia - procuraram atender ao desejo da Marcia. Conseguiram uma banana, que foi fatiada, adicionaram três bolas de sorvete, chantilly, castanhas e cerejas em calda e - voilá - estava pronta a desejada banana split.
Isso tudo, sem cobrar um centavo adicional, com sorrisos enormes nos rostos, satisfeitas de atender um desejo do cliente.
Finlandês: Nota mil para o sorvete e nota um milhão, para o atendimento!

Geribá e Ferradurinha

A pousada Águas Claras tem uma programação de visitas às praias. No sábado, era a vez de Geribá. E lá fomos nós, de kombi, visitar a mais famosa praia buziana.
Sinceramente, fiquei um tanto decepcionado. Para quem conhece Ubatuba, me lembrou um pouco o Tenório mas...
Escolhemos, como base, o Quiosque da Praia, onde tomamos duas cervejas ( R$ 4,50 a latinha). No final, a conta apresentada passou de R$ 27,00 (referente ao consumo de três cervejas e couvert artístico).
Vi que só podia ser um equívoco do quiosque e expliquei que só havia consumido duas cervejas e que nenhum show musical tinha acontecido nos poucos minutos que passamos lá.
A conta voltou para o caixa e, dez minutos depois, o atendente voltou para explicar que "o couvert artístico tinha sido incluído porque pensaram que íamos ficar para o show". Expliquei que não, que queria pagar pelas duas cervejas que consumi e ir visitar outra praia.
Esperei mais uns dez minutos e me apresentaram a nota certa ( R$ 9,90). Paguei com R$ 50 e fiquei esperando troco. Esperei outros dez minutos e dois atendentes vieram me perguntar se eu havia consumido só duas cervejas. Confirmei: sim, só duas cervejas e eles foram embora sem nada dizer.
Meia hora depois, tive que ir até o caixa para pegar o meu troco. Adentrei o restaurante e lá estava o atendente, quase que implorando para o caixa que desse o meu troco. Acho que com a minha presença, ele se tocou e entregou o dinheiro.
Resultado: mais de quarenta minutos perdidos em uma confusão desnecessária, para pagar duas cervejas!
 Praia de Geribá
 Praia da Ferradurinha
Costeira da Praia da Ferradurinha

Depois da perda de tempo em Geribá, fomos até a Ferradurinha. Uma entradinha entre as pedras e o muro de uma das casas, nos levou direto a uma das praias mais bonitas em que já estive.
Mar calmo, gente tranquila, um verdadeiro paraíso. Apesar da praia estar lotada, dava vontade de ficar, aproveitar.
Antes de irmos embora, resolvemos subir na costeira que separa as praias de Geribá e da Ferradurinha. Foi impressionante ver a força das águas revoltas naquele local, em contraste com a placidez que reina do outro lado das pedras...
Da costeira dá prá ver o lado B da praia da Ferradurinha

Restaurantes Argentinos - Estância Don Juan

Anoiteceu e lá fomos nós para a rua das Pedras.
Andamos um pouco para observar a fauna no local (argentinos, alemães, chilenos, italianos e brasileiros, como nós, deslumbrados com todo aquele alto astral e movimento) e resolvemos sentar na varanda do Estância Don Juan.
Como estávamos sem almoçar, pedimos um couvert para preparar o estomago para as bebidinhas. Que surpresa agradável!!! O serviço do Don Juan é de um restaurante argentino. Pães deliciosos, pastas ainda mais! Tanto que repetimos a cesta de pães!
 No cardápio, recuerdos del Caminito
 Na varanda, visão privilegiada da noite buziana
Tomamos algumas caipirinhas feitas com Absolut (muito caprichadas, como tudo na casa), comemos um entrecote com batata rostie e, para terminar, fechando com chave de ouro, profiteroles de verdade (vide foto acima), com massa fresca, muito creme de leite, chocolate e sorvete de creme!

Buzios - Quase de Graça

Fomos passear pela Orla Bardot, apreciando a bela baía, repleta de barquinhos de pescadores. Passamos pela praia dos Ossos, subimos uma pequena ladeira e já vislumbramos duas belas praias, Azeda e Azedinha.
Para chegar até lá, tem que ter um pouco de disposição: uma descida íngreme, na costeira, parece ser o único caminho.
Encaramos o desafio, fizemos umas fotos, demos um mergulho e voltamos para o centro pelo mar, de taxi!
Pois é, para chegar nas praias próximas ao centro (leia-se rua das Pedras), a melhor pedida é ir de taxi (uma voadeira, de quatro lugares), com preços variando de R$ 6,00 a R$ 10,00 por pessoa, de acordo com a praia desejada.
 Vista do Mar - Orla Bardot
Praia dos Ossos
 Praia Azeda - Apesar do acesso ser complicado, a praia estava lotada!
 Na Azedinha, é possível tomar um banho nas piscinas naturais, que se formam nas pedras
Voltando de taxi para o centro (Orla Bardot)

Armação de Búzios

Fomos até Búzios para comemorar os dez anos de emancipação do balneário mais argentino em terras brasileiras.
Sonho de consumo de 10 entre 10 hermanos (e hermanas), tudo em Búzios - principalmente na rua das Pedras - tem um que Bonairense.
Restaurante e casas noturnas para todos os gostos e bolsos, praias belíssimas e muita gente interessante. Um programa para repetir várias vezes no ano.
Pousada:
Ficamos hospedados na Pousada Águas Claras, pertinho da rua das Pedras, na estrada da Usina.
O quarto que ficamos, o n.º 35, muito legal! Claro, arejado, com uma varanda enorme, com a copa das árvores providenciando uma confortável privacidade.
Destaque para a piscina e para o atendimento, impecáveis!



Siri Mole Praia Copacabana - Um quiosque família!

O quiosque Siri Mole Praia, defronte à rua Bolivar merece a visita. Ambiente legal, ótimo para levar as crianças (tem um espaço com casinha, escorrega e brinquedos).
Lugar para um bom bate-papo, regado com água de coco ou uma ótima caipirinha. A especialidade é comida baiana, mas recomendo o caldinho de feijão da casa, bem saboroso.

O quiosque promete uma grande festa, dentro da festa de Revellion. Eu já comprei ingresso (R$ 500)!